Postal de Luanda, Angola | CCMAR
 

Postal de Luanda, Angola

 

Alexandra Teodósio e Vânia Baptista foram a Angola para participar no lançamento do projecto LUANDAWATERFRONT, o qual é coordenado pelo CCMAR / UAlg e patrocinado pela Aga Khan Development Network e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Falámos com elas para saber mais sobre a visita e este interessante projeto.

 

Por que foram a Angola?

A Baía de Luanda é um ecossistema rico que fornece uma ampla diversidade de serviços, mas que se encontra ameaçado por múltiplos factores. Resíduos sólidos e efluentes domésticos não tratados são descarregados diariamente na Baía, dificultando a pesca de subsistência, a prática de desportos náuticos e outras atividades de lazer. As autoridades angolanas aprovaram recentemente um programa para reabilitar a área em redor da Baía de Luanda. A previsão das respostas ambientais às acções de reabilitação, bem como a mitigação das ameaças actuais à Baía de Luanda, exige uma avaliação ecológica integrada. Esta avaliação inclui a detecção de proliferações de algas nocivas (HABs), de espécies invasoras e a avaliação de dinâmicas tróficas. O projeto LUANDAWATERFRONT fornecerá um banco de dados de biodiversidade e um conhecimento mais profundo do funcionamento do ecossistema na Baía de Luanda, o qual será comparado a um local de referência, a Lagoa do Mussúlo.

Qual foi o destaque desta visita?

O kick off do Projecto LUANDAWATERFRONT teve como objectivo mostrar o projecto às partes interessadas da baía e implementar, com o Instituto Nacional de Investigação Pesqueira e Marinha (INIPM), estratégias de amostragem para o próximo ano em conjunto com a Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto em Luanda e a Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe. Visitámos diferentes locais para definir os locais de amostragem na Baía de Luanda e Lagoa do Mussúlo. Reunimo-nos com parceiros associados: Progest (Eng. José Paulo Nóbrega), Administrador da Ilha de Luanda (Dr. Paulo Neto), associações de pescadores e residentes na baía.

 

Que novas oportunidades abre esta visita para vocês e outros investigadores do CCMAR?

Nós (CCMAR e a Universidade do Algarve) no âmbito do LUANDAWATERFRONT iniciamos a implementação da plataforma colaborativa CCEMAR (Centro Colaborativo de Excelência em Ciências Marinhas para África). Os parceiros são agora instituições angolanas (INIPM, Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto, Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe). Nos próximos três anos, vários inquéritos para estudar a biodiversidade marinha e o funcionamento do ecossistema na costa angolana serão levados a cabo e coordenados pelo CCMAR.

Saiba mais sobre o projeto LUANDAWATERFRONT no seu website, Facebook e Instagram